Tablets-au.com Online ED Pharmacy is an 1st. pharmacy providing a personal service to the community in Australia. Over 50,000 extremely satisfied customers! We're your prescription drug store kamagra australia and have provided trusted service to families in Australia for over 15 years.

Pedromachadott.pt

Veículo – Documentação:
Livrete. Se o titular não for na viatura, ou se esta estiver em nome de uma empresa ou instituição, é necessário uma autorização escrita, em Português e Francês, com a assinatura reconhecida notarialmente. Devido a novas regras, é aconselhável que esta declaração seja também carimbada pela autoridade marroquina (através da Embaixada no nosso país). Seguro válido para Marrocos. A maior parte das seguradoras não incluem Marrocos nos países cobertos pelo seguro ‘normal’, pelo que é necessário pedir a extensão do seguro para Marrocos, para o período desejado. Todos os documentos da viatura (imposto de circulação, inspecção periódica, etc.). Preferencialmente levar também algumas cópias (4) da documentação para, se necessário, entregar à autoridade. Veiculo – Manutenção:
Vamos fazer muitos KM, e muitas vezes fora de estrada, o que implica um esforço adicional no veículo, pelo que é necessário alguma manutenção prévia para reduzir a probabilidade de ocorrer problemas. o Lubrificar o chassis e as transmissões. o Verificar estado das correias (assegurar que o período de substituição foi o Verificar tubos do circuito de arrefecimento do motor, nomeadamente o seu estado (com o passar do tempo tendem a ficar ressequidos) e pontos de fixação (fixação das abraçadeiras). Verifique também que está a utilizar líquido de arrefecimento como recomendado pela marca do seu veículo. Se tiver muitos KM ou mais de um ano deverá substituir. Caso contrário basta colocar a nível. o Assegurar que os órgãos de travagem estão em bom estado para fazer mais 5.000 KM em condições de utilização exigente. Em caso de dúvida, trocar. o Óleo de motor. Deverá ser apropriado para climas quentes e utilização intensa. Se o óleo tiver muitos KM ou mais de um ano deverá fazer a mudança. Caso contrário basta colocar a nível. o Filtro de óleo. Se tiver muitos KM ou mais de um ano deverá substituir. o Filtro de ar. Se tiver muitos KM ou mais de um ano deverá substituir. o Filtro de gasóleo. Se tiver muitos KM ou mais de um ano deverá substituir. o Filtro do habitáculo. Se tiver muitos KM ou mais de um ano deverá substituir. o Valvelina das caixas (velocidades e transferências) e dos diferenciais. Se tiver muitos KM ou mais de um ano deverá substituir. Caso contrário basta colocar a nível. o Cruzetas das transmissões. Verificar folgas, e em caso de desgaste, substituir e o Embraiagem. Este é um dos componentes mais solicitados na condução em areia e dunas, especialmente se tiver em conta que o carro irá bastante carregado. Se não estiver em perfeitas condições poderá ceder e provocar a imobilização da viatura, com as inerentes dificuldades de resgate em terrenos complicados. Certifique-se que está em condições, e em caso de dúvida faça a sua substituição. o Suspensão (molas/amortecedores). Dado o tipo de terreno, e as grandes etapas em pisos duros, juntamente com a carga adicional que o veículo vai transportar, a suspensão será obrigada a trabalhar mais do que num passeio tradicional. Assim, deverá assegurar-se que todos os elementos que a compõem estão aptos a efectuar 5.000 KM em condições adversas. o Direcção. Verificar rótulas e ponteiras, corrigindo eventuais falhas encontradas. Controlar folga na caixa de direcção e os níveis do óleo da direcção assistida e respectiva tubagem. o Pneus. O tipo de piso não é determinante, ainda que deverá ter em atenção que além da areia iremos também atravessar grandes zonas de pedra, e caso o pneu seja mais macio poderá, mais facilmente, sofrer danos. Terão de ter rasto suficiente para efectuar os 5.000 KM sem problemas. Verificar que as carcaças não estão ressequidas nem gretadas, não apresentam cortes ou reparações anteriores deficientes. o Sistema eléctrico. Verificar o bom funcionamento da bateria, alternador e motor de arranque (este último é particularmente importante nos carros de caixa automática, onde o arranque não pode ser efectuado através de ‘esticão’. Veiculo – Material:
Duplicado das chaves do veículo. Deverá levar consigo, de preferência dentro de uma bolsa ou mala que nunca fique dentro do veículo. Este duplicado deverá incluir todas as chaves referentes ao veículo, desde a chave da ignição, portas, tampão do gasóleo e chave para desarmar o alarme. Se o carro estiver equipado com comando à distância deverá juntar um duplicado deste também. Caixa de ferramentas. Com as ferramentas básicas para pequenas reparações que possam ser necessárias durante o percurso. Pneus. Além dos 5 pneus tradicionais, é recomendável que leve um 6º pneu, de preferência montado numa jante. Caso não consiga arranjar uma jante, deverá ainda assim levar este 6º pneu, pois caso danifique irremediavelmente um dos pneus, poderá utilizar este. Caso não leve este segundo pneu sobresselente, e necessite de um, ficará dependente do mercado local, onde a qualidade será certamente duvidosa e o preço tudo menos agradável. Deverá levar também um KIT de reparação de pneus, e se possível alguns sprays de reparação rápida, tipo ‘mousse’. Macaco e base de apoio. Verifique se o macaco do seu veículo está a funcionar correctamente. Dada a irregularidade e/ou instabilidade dos pisos, é obrigatório levar uma base de material sólido e leve (por exemplo madeira) com dimensão suficiente para servir de base para o macaco e não se afundar em pisos de areia. Compressor de ar e pesa-ar. Dada a necessidade de assegurar a pressão correcta dos pneus nos vários pisos que vamos encontrar, é necessário um compressor. Existem no mercado alguns modelos muito baratos, mas lembre-se que estes modelos não estão preparados para utilização intensa e podem deixar de funcionar. Assegure-se que escolhe um modelo que lhe permite encher os 4 pneus sem necessidades de paragem para ‘arrefecer’. O pesa-ar será muito útil para controlar a pressão dos pneus, especialmente quando tiver de os esvaziar para transpor obstáculos em zonas de areia. Cintas de reboque, guinchos, pranchas e outros. As cintas são obrigatórias e deverão ser reforçadas. No deserto nunca sabemos por quanto tempo teremos de rebocar ou ser rebocados. Cintas velhas, com sinais evidentes de desgaste ou com pouca capacidade de tracção poderão causar mais problemas que ajudar. O guincho, apesar de não ser obrigatório, é uma mais-valia para desatascar ou ser desatascado em pisos de pouca tracção, como areia. Pranchas e outros artefactos de desatasco são opcionais, uma vez que estando em grupo será sempre mais simples puxar ou ser puxado. Ainda assim, se tiver este tipo de material leve-o. Luvas de trabalho. Deverá levar luvas para proteger as suas mãos das cintas, cabos de reboque, etc. Deverá também levar umas luvas mais ‘suaves’ para efectuar pequenas reparações no veículo, caso seja necessário. Toalhitas de limpeza. No meio do deserto não existe meio de lavar as mãos. Umas toalhitas, de preferência com produto de limpeza incorporado, são ideias para limpar as mãos em diversas situações. Cabos de bateria de capacidade adequada. Jerrican de 20 l para combustível (OPCIONAL). Dependendo da autonomia do seu veículo, poderá ser necessário. Verifique os KM das várias etapas programadas, e não se esqueça que em situações exigentes como dunas o consumo será substancialmente superior ao que está habituado em condições normais. Como ponto de partida, acrescente 50% no consumo, ou seja, se por exemplo o seu veículo consume 12l por cada 100 KM, faça as contas com 18l por cada 100 KM. Peças de substituição. Você ou o seu mecânico saberão melhor que ninguém quais os pontos mais fracos da sua viatura, e como tal, deverá levar peças para substituir os componentes que poderão estar sujeitos a maior desgaste. A lista aqui apresentada é genérica e cada um deverá ajustá-la às necessidades da sua viatura. o Conjunto de correias. Alternador, bomba de água, ar condicionado, etc. Mesmo em peças novas colocadas há pouco tempo poderão surgir defeitos de fabrico que comprometem a mecânica. o Filtro de ar. A quantidade de pó das pistas do deserto é muito grande, e como tal, o filtro de ar tem um papel vital. Este será limpo todos os dias, mas a sua degradação será muito acentuada com o passar dos KM. Assim, recomenda-se que leve, pelo menos, um filtro adicional para trocar. Recorde-se que um filtro de ar sujo degrada o desempenho do motor, aumenta o consumo e pode até levar a um sobreaquecimento deste. o Óleo (motor, direcção assistida, etc.). Mesmo que o seu veículo não gaste óleo, é recomendado levar, pelo menos, 1 a 2 litros. Um furo numa tubagem poderá implicar perda de óleo, e no meio do deserto não temos estações de serviço. o Líquido de refrigeração. Mesmo que o seu veículo não gaste, é recomendado levar. Um furo numa tubagem poderá implicar perda deste líquido. Lona ou manta. Caso leve os bancos rebatidos ou a bagageira sem tampa, deverá cobrir a bagagem. Servirá também para fazer sombra nos almoços ou servir de manta para o chão em almoços e reparações de emergência. Estojo de primeiros socorros. Um pequeno estojo, básico, para pequenos ferimentos. Pessoas – Documentação:
Passaporte. Com validade de, pelo menos, seis meses. Bilhete de identidade. Carta de condução. Cópias de todos os documentos dos vários ocupantes de cada viatura (uma vez mais, 4 Seguro de viagem. Seguro de repatriamento e tratamento em caso de doença com cobertura para Marrocos. Alguns cartões de crédito e/ou débito incluem este tipo de seguros, normalmente com a condição de serem utilizados até xx dias antes da viagem. Cartões de crédito e multibanco. Nas cidades maiores existem caixas multibanco, mas à medida que avançamos para o interior do país deixam de existir. É recomendado levantar dinheiro suficiente para as etapas mais a sul. Lembre-se que precisa de dinheiro para o hotel, bebidas, gasóleo, compras, etc. Mapa de Marrocos (por exemplo, Michelin nº 742). Alimentação e outros:
Água. Nos hotéis é normalmente possível adquirir garrafas de água, pelo que poderá ir comprando à medida que vamos avançando, mas é recomendável ter sempre alguns litros dentro do carro para alguma emergência. Os almoços serão, na sua maioria, feitos no meio do deserto, pelo que deverá contar com água para beber, e se necessário para confeccionar as suas refeições. Geleira de ligar ao isqueiro. Para levar umas bebidas frescas, ou alimentos mais delicados. Lembre-se que, apesar de durante o dia a geleira estar dentro do carro ligada, durante a noite se a deixar ligada ficará sem bateria. Como alternativa poderá levar um adaptador que permite ligar aparelhos de 12 V à corrente eléctrica do seu quarto de hotel durante a noite, mas tenha em mente que em alguns sítios mais remotos o hotel é alimentado por geradores, que são desligados durante a noite. Alimentos. Devem ser estáveis e fáceis de manusear. Devem ter um bom valor nutritivo e energético. Aqui ficam algumas sugestões: o Presuntos, chouriços e outros enchidos. o Pão (do tipo alentejano dura bastante). o Sopas individuais em embalagem do tipo tetrapack. o Refeições prontas enlatadas (atenção às pessoas com sensibilidade intestinal, pois os enlatados podem provocar diarreias). o Refeições rápidas pré-feitas (por exemplo, pacotes de massas que se preparam o Barras de cereais. o Bebidas (refrigerantes, cerveja, vinho, etc.). Fogão de campanha. A Camping Gaz tem uns bicos que se ligam directamente em bilhas próprias da marca – levar isqueiro e/ou fósforos. Medicamentos. Cada participante, caso esteja sujeito a medicação específica, deverá levar consigo as doses necessárias para todos os dias de viagem. Aqui fica uma pequena lista de medicamentos que poderão ser úteis em situações como diarreias, irritação ocular e nasal, protecção contra o sol e contra insectos, dores relacionados com esforço físico: o Primperam – Metaclopramida. o Dafalgam 1 mg – Paracetamol. o Aspegic 1000. o Reimus – Tiocolquicosido. o Brufen 40 – Iboprufeno. o Flexomin 1000 – Amoxicilina. o Soro Fisiológico Oftálmico e Nasal. o Visadron. o Protector solar.

Source: http://pedromachadott.pt/wp-content/uploads/2012/02/Doc_Mater.pdf

2008 tufts med pref web:layout 1.qxd

Anti-infectives Cephalosporins Each year there are more and more generic versions Fluoroquinolones of popular Brand Name drugs being introduced to thepublic. As a result, the number of categories and classeswith generic agents available is constantly on the rise, Macrolides and Clindamycin Tufts Health Plan presenting an excellent opportunity to save money foryour patients whil

Ejd;01jun99

Psychopharmacology (1999) 143 : 286 –292 P. Bitsios · E. Szabadi · C.M. Bradshaw Comparison of the effects of venlafaxine, paroxetine and desipramineon the pupillary light reflex in manReceived : 29 July 1998 / Final version : 17 November 1998 Abstract Rationale : The time-course of the pupillary effects. Conclusions : The increase in resting pupil diam-light reflex response is det

Copyright © 2010-2014 Pdf Medical Search